Na foz do rio Doce, a apenas 40 km do litoral e cercada pela Serra do Mar, em Linhares, no Espírito Santo, está a fazenda Tupã, onde é destilada a Princesa Isabel. Os cachaceiros, Adão Cellia e Maria Isabel de Moraes, são os responsáveis pela produção de 20 mil litros por safra dessa cachaça capixaba. No canavial são plantadas as variedades de cana RB7515, RB5453 e um pequeno lote de Cana Caiana (que resultou em uma produção reduzida de 2 mil garrafas /ano).

A colheita manual é feita como mandam os melhores guias de produção: sem queima e com a extração do caldo em no máximo doze horas. Na fermentação utilizam leveduras comerciais selecionadas. Após a destilação, a cachaça passa por dornas de jequitibá-rosa, carvalho americano, carvalho europeu, bálsamo e jaqueira.

Com a consultoria do químico e mestre de adega Leandro Marelli, a cachaça se destaca com promissores blends de jaqueira, madeira pouco comum no mercado. Com o apoio de seus filhos, Pedro e Gabriela, Adão e Maria Isabel colocam essa jovem marca entre as mais inovadoras e premiadas do mercado.